sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A imprensa te enganou - A inflação acumulada em 2014 é de apenas 5,05%, bem abaixo do teto da meta



A grande imprensa, a partir de junho, começou a alardear a todo momento que a inflação estava descontrolada e que já havia extrapolado a meta de 2014, que é de 6,5%.

Essa informação era usada insistentemente por Aécio Neves e Marina Silva para convencer seus eleitores de que o governo Dilma seria completamente incompetente na área econômica. Muitos acreditaram.

O problema era a velha mágica dos números. Você pega os dados reais e os apresenta aos público de uma maneira que pareçam refletir uma realidade terrível.

No caso da inflação, estavam apresentando à população a inflação acumulada nos últimos 12 meses e não a inflação acumulada em 2014. Somente poderia-se afirmar que a inflação estourou o teto da meta, se ao longo de todos os meses do ano, a inflação acumulada já tivesse ultrapassado a meta.

Em junho, por exemplo, a inflação dos últimos 12 meses chegou a 6,52%, mas a inflação acumulada no ano estava em 3,75%, ou seja, ainda bem abaixo da meta.

É claro que, se a inflação continuasse no ritmo em que estava nos primeiros 6 meses do ano, ela chegaria a 7,5% no fim do ano, o que seria acima da meta. Mas não é o que vem ocorrendo. O ritmo de crescimento da inflação caiu e chegamos a outubro com uma inflação acumulada de apenas 5,05%, segundo os dados do IPCA (Índice de Preços ao consumidor).

Na tabela abaixo estão destacados os índices de inflação em cada mês de 2014, além do acumulado em todo o ano e nos últimos 12 meses.

Imagem extraída do site ocafezinho.com


Somente quem lia muito atentamente as notícias que saiam mês a mês a respeito da inflação começou a perceber que ela começou a cair a partir de julho. As manchetes com letras enormes mostravam 6,5% ou 6,7% de inflação, enquanto lá no meio de um longo texto havia um destaque mínimo à informação de que em julho a inflação foi de 0,01% ou que em agosto foi de 0,25%.

Tudo isso foi feito de forma friamente calculada, para prejudicar a campanha eleitoral de Dilma Roussef e beneficiar os opositores, causando o pânico nos eleitores com notícias de uma inflação supostamente descontrolada.

Com uma inflação de 5,05% em 10 meses, se mantiver o mesmo ritmo, fechará 2014 com um acumulado de 6,05%, cumprindo a meta estabelecida para o ano.

Não se surpreenda se a imprensa não falar mais de inflação até o fim deste ano.

_____________________________________________

Se gostou deste tema. Leia Também

Campanha de Aécio usou pesquisa com dados comprovadamente enganosos
A quantidade de mentiras usadas nas campanhas eleitorais para a presidência não foram poucas. Desta vez descobriu-se que a equipe de campanha de Aécio, assim como o próprio candidato, Mais informações »
PSDB de Aécio Neves quer auditoria das eleições
Após o candidato do PSDB, Aécio Neves, perder as eleições por uma diferença apertada, de 3,4 milhões de votos, seu partido decidiu entrar com uma petição no TSE... Mais informações »
Convidado do programa Manhattan Connection desmonta preconceitos contra os nordestinos
Um dia após as eleições, o comentarista do programa Manhattan Connection, Diogo Mainard xingou o nordeste chamando-o de atrasado, bovino, retrógrado, submisso ao governo Mais informações »
A imprensa investiga, acusa e julga, mas não precisa de provas
Na edição da revista "Isto É" da semana passada, a matéria intitulada "No rastro do dinheiro da Propinobrás" faz a seguinte denúncia... Mais informações »

0 comentários:

Postar um comentário