quarta-feira, 9 de julho de 2014

O terrorismo do Hamas parece brincadeira perto do que Israel faz



Abaixo estão alguns trechos de uma matéria do Opera Mundi:

Israel lança 160 ataques aéreos na Faixa de Gaza e promete prolongar investida militar
O exército de Israel lançou 160 ataques aéreos na Faixa de Gaza no início desta quarta-feira (09/07), cobrando a vida de mais nove palestinos. De acordo com fontes médicas, como o Ministério da Saúde de Gaza, agora são 28 os palestinos mortos desde o início da operação "Margem Protetora", iniciada na segunda-feira à noite. O ministro da Defesa, Moshe Ya'alon, anunciou que a investida militar deve crescer nos próximos dias.
A maioria dos mortos é civil -- incluindo crianças. Além disso, os bombardeios deixaram mais de 200 pessoas feridas. O deputado Ahmed Tibi, árabe-israelense, acusou as forças armadas de estarem cometendo crimes de guerra em Gaza e "propositalmente eliminando famílias inteiras".
De acordo com o jornal israelense Haaretz, Ya'alon afirmou que os ataques a Gaza destruíram armas, infraestrutura, centros de comando, prédios e casas de "terroristas do Hamas". Ele não se referiu às mortes de civis. "Estamos matando terroristas de diferentes estratos, e essa operação irá se intensificar", disse. "Da nossa parte, essa não precisa ser uma batalha curta. Continuarems a atingir o Hamas e outros grupos terroristas com força.".
Israel já havia informado antes que havia matado em um ataque Abdullah Dyifala, comandante do Hamas identificado como responsável pelo lançamento de foguetes. Em resposta, milícias palestinas dispararam 45 foguetes em direção ao centro e ao sul de Israel, sem provocar vítimas. 
A Casa Branca condenou o lançamento de foguetes palestino e manifestou apoio ao direito de Israel de "se defender". Nenhum comentário foi feito sobre a mortes de civis palestinos.

É absurdamente desproporcional e sem justificativa esse desumano ataque causado por Israel na faixa de Gaza.

A morte de três adolescentes israelenses não é justificativa para uma punição em massa do povo Palestino.

Já são 28 mortos e 200 feridos e muitos deles são civis, sem qualquer relação com o Hamas. São pessoas que moram provavelmente no mesmo bairro ou prédio de alguém do Hamas.

Israel para matar alguns membros do Hamas que estejam numa casa, lança bombas que destroem aquela casa e todas as outras da vizinhança. Para matar alguém num prédio, bombardeiam o prédio inteiro, independente de quem esteja lá dentro. Em 2012, até o prédio onde estava a imprensa internacional foi bombardeado.

É comum as retaliações absurdas de Israel por ataques do Hamas. Em 2012, por causa da morte de 3 israelenses, Israel realizou ataques que mataram 101 palestinos. Na invasão à faixa de Gaza promovida por Israel no final de 2008, morreram 1,4 mil palestinos e apenas 13 israelenses.

Israel e Palestina são como um marido e mulher que moram juntos, mas se odeiam. De vez em quando o marido recebe um tapa da mulher e revida com dezenas de socos que a deixam toda arrebentada. Após isso, o marido (Israel) recebe o apoio dos amigos (EUA e outros), que prestam solidariedade pelo tapa que levou e fingindo que os socos (bombardeios) não aconteceram. Esses amigos, ainda divulgam para seus filhos (população de seus países) que os socos foram todos em legítima defesa contra a esposa.

Abaixo um vídeo de apenas um desses tantos bombardeios contra os palestinos.

video

_____________________________________________

Se gostou deste tema. Leia Também

Israel convoca 40 mil reservistas para atacar a faixa de gaza
O governo de Israel autorizou nesta terça-feira (08/07) que o Exército convoque 40 mil reservistas para o caso de uma operação terrestre na Faixa de Gaza, informou a imprensa israelense... Mais informações »
Cartunista Carlos Latuff retrata o massacre cometido por Israel na Faixa de Gaza
O cartunista brasileiro Carlos Latuff, numa série de charges, está retratando sua visão sobre a situação caótica na qual se encontra a Palestina: Mais informações »

0 comentários:

Postar um comentário